Skype: torresdigital@live.com ( 55 ) 4141 - 0075 - Comercial
Google Chrome vai marcar sites HTTP como não seguros
28 de Fevereiro de 2018
0

Google Chrome vai marcar sites HTTP como não seguros: O Google colocou o próximo mês de julho como o prazo para cumprir uma promessa feita em 2016 de que o seu navegador Chrome terá um alerta em todos os sites que não criptografam o tráfego

A partir de julho de 2018, com o lançamento do Chrome 68, o Chrome vai marcar todos os sites HTTP como ‘não seguros’”, afirmou a gerente de segurança de produtos do Chrome, Emily Schechter, em um post feito no último dia 8 de fevereiro no blog da companhia.

A gigante de buscas programou o lançamento do Chrome 68 em modo Estável – o que significa uma qualidade de nível de produção – para a semana entre 22 de julho e 28 de julho.

A partir desse período, o Chrome vai inserir um anúncio com os dizeres “Não Seguro” (“Not Secure”) na barra de endereço de todos os sites que usarem conexões HTTP entre os seus servidores e os usuários. Enquanto isso, os sites que utilizam HTTPS para criptografar o tráfego terão as suas URLs exibidas normalmente na barra.

Como o e-Commerce Brasileiro pode aumentar seus lucros em 2018.

A campanha do Google para marcar os sites HTTP como inseguros teve início em 2014, com a empresa ampliando os seus esforços em setembro de 2016, quando anunciou que o Chrome 56 iria destacar as páginas web que não criptografam os campos para o preenchimento de informações como senhas e dados de cartão de crédito. O Chrome 56 chegou ao mercado em janeiro de 2017, e desde então começou a aplicar esse aviso “Não Seguro” nos sites que não criptografam esses campos de dados citados acima.

Esse trabalho em favor do HTTPS – apoiado pelo Google e outras empresas, como a Mozilla, responsável pelo Firefox – realmente funcionou, segundo Schechter. De acordo com ela, 81 dos 100 principais sites atuais usam HTTPS por padrão. Além disso, 68% do tráfego do Chrome no Windows e no Android e 78% do tráfego do navegador no macOS e no Chrome OS já são criptografados.

Esse é um aumento significativo em relação a setembro de 2016, quando metade de todos os carregamentos de página via desktop pelo Chrome eram realizados por meio de HTTPS. Eventualmente, esse aviso de “Não Seguro” do Chrome será acompanhado por um ícone de perigo na cor vermelha.

Uma nova ferramenta: Saiba como usar

Os usuários podem habilitar essa nova ferramenta de alerta contra conexões HTTP do Chrome ao digitar “chrome://flags” na barra de endereços do navegador e depois buscar pelo item descrito como “Mark non-secure origins as non-secure”.

Feito isso, marque a opção “Enable (mark with a Not Secure warning)” para essa função e abra o Chrome novamente – esse recurso replica o que o Chrome 68 vai mostrar como padrão a partir do próximo mês de julho. Caso você também queira que o browser mostre o ícone vermelho, então é preciso marcar também a opção “Enable (mark as actively dangerous)”

O que o Google faz – ou deixa de fazer – com o Chrome tem um impacto gigante na web simplesmente por conta da influência enorme do navegador. Em janeiro deste ano, por exemplo, a empresa de análise Net Applications registrou a fatia de usuários do Chrome em 61,4%, o que o coloca na liderança absoluta desse mercado.

Segurança: garantia

Garantir a segurança e proteger os recursos de TI, assegurar alta disponibilidade dos dados e ter um plano para retomar as operações rapidamente no caso de desastres inesperados são prioridades para líderes de TI de empresas que pensam no futuro. Acesse este white paper e entenda como é possível evitar tempo de inatividade e garantir disponibilidade à sua empresa com DRaaS.
Uma Nova Geração do BI: confira análises self-service que seu time de negócio e de TI vão amar

Saiba mais: Esclarecimento sobre o fim do e-Sedex

Este white paper mostra como o BI Self-Service deve funcionar e os benefícios desta nova geração de BI – uma geração que oferece um ambiente abrangente e análises sofisticadas o suficiente para satisfazer seus cientistas de dados, sendo fácil de usar e acessível para usuários de negócios.
A Próxima Era da Inteligência Analítica: A Inteligência Artificial

Apresentando sete artigos, esse relatório mostra o quão diferente pode ser o uso de IA por indústrias visando atingir uma vantagem competitiva e adequar-se melhor aos seus objetivos e aos seus clientes. Acesse este relatório e confira o que a IA pode significar para os negócios e como a IA pode agregar valor para a inteligência analítica.

As organizações de hoje em dia buscam uma abordagem à análise de autoatendimento que equilibre as necessidades da equipe de TI e da empresa. Com quatro importantes etapas a TI pode deixar de ser uma “fábrica de relatórios” para assumir um papel mais estratégico de governança e disponibilização de dados e ainda é possível implantar com sucesso a análise de autoatendimento.

Simplifique a avaliação dos seus fornecedores com o Quadrante mágico 2017 do Gartner para arrays de estado sólido. Acesse o relatório para saber sobre a visão geral do futuro mercado de armazenamento flash, veja a avaliação de visão, pontos fortes e precauções para cada fornecedor pelo Gartner e confira também, o que levou a Pure Storage a ser classificada como Líder.

É preciso estar antenado com as novas práticas dos cibercriminosos, entender os ataques e conseguir reagir às suas ameaças, protegendo as empresas desses perigos digitais. Confira neste material um guia prático sobre ataques criptor e entenda como se defender.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 Voto. Total: 5,00 de 5)
Loading...

Deixe uma resposta

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!